.

Ankündigung

Einklappen

Ankündigung

Moin,
für mich wir es Zeit mit dem Betrieb des Forums aufzuhören.

Mehr Informationen: Alles hat ein Ende

>> Ab sofort sind keine neuen Registrierungen mehr möglich.
>> Am 30. Januar werde ich die Möglichkeit neue Themen zu starten sperren.
>> Ab 13. Februar wird es dann nicht mehr möglich sein zu antworten.

Gruß
Christian
Mehr anzeigen
Weniger anzeigen

Retrato do Brasil

Einklappen
X
 
  • Filter
  • Zeit
  • Anzeigen
Alles löschen
neue Beiträge

    #11
    Zitat von ALL
    esse fenomeno nos surpreendeu e continua a nos fazer 'pensar'...

    o que esta havendo?!!


    Todos querem ser brasileiros. Nas rádios, nos shows, nas ruas, nas vitrines.

    A cultura Brasileira invadiu a Itália.

    http://agenciacartamaior.uol.com.br/...te&id=2134
    a onda BRasil continua!!! 8)



    Sexta, 30 de julho de 2004, 18h23
    BBC-Brasil


    "Todo mundo ama o Brasil", diz a Newsweek

    "Todo mundo ama o Brasil", diz o título de uma reportagem da revista americana Newsweek que chega nesta semana às bancas.

    Você concorda com o que diz a reportagem? A reportagem é capa da versão latino-americana da revista, que diz que "um gosto pela cultura Brasileira está varrendo o mundo" e estampa a manchete "Samba Chic".

    A revista começa sua exaltação ao país contando a história de um Brasileiro perdido em Paris, sem falar uma palavra de francês, que vê todas as portas se abrirem à simples menção de Brésil.

    Segundo a Newsweek, até pouco tempo atrás, a palavra Brasil trazia à cabeça imagens de crianças de rua, dívida externa ou, na melhor das hipóteses, de uma mulher com um chapéu tutti-frutti na cabeça.

    Agora, de acordo com a revista, a cultura Brasileira está se espalhando por todos os cantos do mundo.

    É caipirinha no restaurante Sushi Samba em Manhattan, Elza Soares trazendo abaixo o Jazz Café de Londres, aulas de capoeira em Toronto ou modelos bronzeadas dominando as passarelas de Milão à província do Cantão, na China.

    Contágio

    É hora de esquecer Gisele e Ronaldo, segundo a revista. O contágio Brasileiro, diz a Newsweek, vai além da moda e do futebol.

    A revista diz que os Brasileiros ex-patriados ajudam a divulgar o nome do país. Ela lembra a grande comunidade verde e amarela em Nova York, Boston, e os cerca de 280 mil Brasileiros descendentes de japoneses que fizeram o caminho contrário de seus ancestrais e se estabeleceram no Japão.

    A reportagem prossegue lembrando a temporada Brasileira na loja de departamentos Selfridges, de Londres, em maio deste ano, dizendo que o nome Brasil ajuda a empurrar os negócios para a frente.

    E não esquece de mencionar que as mulheres européias e americanas que gastaram US$ 13 milhões (quase R$ 40 milhões) em biquínis Brasileiros no ano passado costumam recorrer à depilação conhecida como Brazilian, como registrado no dicionário Oxford.

    A obsessão pelo Brasil está se espalhando pelo mundo, diz a Newsweek, mas, às vezes, o próprio país não valoriza o que é seu.

    E cita os casos das cantoras Bebel Gilberto e Luciana Souza, indicada duas vezes ao prêmio Grammy, como exemplos de Brasileiros que fazem sucesso no exterior antes de serem reconhecidos em casa.

    Para ilustrar, a revista relembra uma frase de Tom Jobim, que disse uma vez que, no Brasil, "sucesso é ofensa pessoal".

    Lula

    De uma maneira oblíqua, segundo a publicação, boa parte do crédito pelo sucesso atual do Brasil vai para Luiz Inácio Lula da Silva

    "o carismático camponês que se tornou presidente e que luta contra o protecionismo dos países ricos levando fazendeiros dos Estados Unidos e da Europa aos tribunais internacionais de comércio".

    A revista conclui a reportagem dizendo que outros países já estiveram na moda em outros momentos, já que Europa e Estados Unidos costumam importar "sabores exóticos" para afastar o tédio.

    Segundo a Newsweek, um dia Ronaldo vai pendurar as chuteiras e Gisele vai descer do salto, passando a coroa do mundo da moda para alguma jovem da Croácia ou do Quênia.

    "Ninguém está dizendo que a invasão Brasileira veio para ficar. Mas vai ser divertido enquanto durar."

    Kommentar


      #12
      Jornal: O GLOBO Autor:
      Editoria: Esportes Tamanho: 589 palavras
      Edição: 1 Página: 46
      Coluna: Seção:
      Data: 05/08/2004
      Caderno: Primeiro Caderno



      TERRA ADORADA PELOS GREGOS



      Brasil está na moda em Atenas, com músicas nas rádios e muito verde-amarelo nas lojas


      ve uma
      febre tropical


      OBrasil está em moda na sede olímpica. Bonés, camisas, cintos e bandeiras fazem parte das vitrines de lojas gregas. A febre em busca de produtos nas cores verde e amarela é justificada pela paixão dos gregos à terra brasileira. Ao passear por Atenas é fácil esbarrar com jovens desfilando com o nome Brazil, com Z, no peito. Nas ruas turísticas, como Plaka e Monastiraki, camisas da seleção e, principalmente de Rivaldo, contratado pelo time grego Olympiakos, são as únicas à mostra junto aos uniformes da Grécia, campeã da Eurocopa-2004.

      A moda brasileira vai além do traje. Basta ligar o rádio ou a TV para entender melhor o fanatismo. Nas estações de rádio, músicas brasileiras, desde MPB até funk, são cotidianas. Até julho, os aposentados sons “Tchuchuca”, do Bonde do Tigrão, e “Já sei namorar”, dos Tribalistas, eram a sensação. Porém, depois da apresentação, no Teatro Herodes, do ministro da Cultura, Gilberto Gil, disparou a busca pela música brasileira tradicional ou pelas que estão em moda no Brasil.

      Além de a população falar bem, gostar e se empolgar com os brasileiros, uma das propagandas do Comitê Olímpico de Atenas passou claramente aos espectadores a sensação de que o Brasil é um dos países de mais afinidade com a Grécia. No comercial, os gregos convidam os turistas para a festa olímpica, mas nas imagens só aparecem comemorações de foliões gregos e brasileiros.

      O assédio à delegação brasileira já começou. Por isso, o treino da seleção feminina de futebol, ontem, em Atenas, foi realizado com portões fechados, apesar de haver milhares de pessoas do lado de fora. Segundo um representante da organização, o interesse pelo Brasil era maior do que a capacidade do local, para dez mil pessoas.

      Apesar de Atenas ditar moda, a maioria das cidades gregas entrou no ritmo de “viva Brasil”. No Norte, em Thessaloniki, a capoeira é um dos esportes mais procurados; nas ilhas de Mykonos, Poros, Santorini e Creta, calçar chinelos ou vestir shorts com as cores e a bandeira do Brasil estampada faz parte dos hábitos da multidão.

      Samba teimoso só
      com braço e cintura

      Como a música brasileira é a sensação, boates latinas estão espalhadas pela terra dos deuses. Os gregos têm ritmo quando dançam, por isso, são teimosos em aprender a sambar. As tentativas, muitas vezes, são em vão. Afinal, na Grécia todo o movimento sensual vem dos braços ou da cintura. Sambar é um requebrado latino demais.

      — O Brasil tem uma população bonita e um clima alegre. Vai ser difícil achar um grego que não goste da terra de vocês — disse o comerciante Panagiotis Baltzoglu.

      Desde que venceu a Eurocopa, no último mês, a população helênica sonha com uma partida de futebol Brasil x Grécia. Além disso, se o Brasil ganhava sozinho as vitrines com suas cores e bandeiras, hoje ele tem de dividir espaço com os orgulhosos gregos.

      — Antes da Eurocopa minha vitrine era repleta de camisas brasileiras. Hoje, tenho que valorizar a Grécia, porque ela mostrou ser boa no futebol. Mas idolatramos o Brasil — disse o comerciante Cristos Sotiropoulos.

      Kommentar


        #13
        hahahahah

        Kommentar

        Lädt...
        X