Alemanha: milhares nas ruas contra achaque aos direitos trabalhistas

Milhares de pessoas tomaram as ruas de diversas cidades da Alemanha para protestar contra o achaque imposto aos direitos trabalhistas através de medida do governo que corta os subsídios para os desempregados. Magdeburgo, Halle, Desau, Leipzig, Sajonia Anhalt e Mecklemburgo Pomerania foram palco, durante toda a última semana, de grandes mobilizações de massa em repúdio ao corte.

O achaque foi imposto depois das medidas Hartz IV e Agenda 2010, que determinaram a fusão do seguro-desemprego e a ajuda social. Se não bastasse, a partir de 2005, a idade base para aposentadoria aumentará, assim co-mo, o montante pago ao fundo de previdência.

Tais medidas vêm no mesmo momento em que a população também teve que começar a pagar por consultas médicas, medicamentos e serviços especia-lizados de saúde, que antes fornecidos gratuitamente pelo governo alemão.

“Fora Hartz IV e Agenda 2010! Por trabalho, justiça e solidariedade”, afirmaram em coro os cerca de 20 mil manifestantes de Sajonia Anhalt e os mais de 12 mil que se manifestaram em Magdeburgo. O ato contou com a participação de diversas organizações sociais.

“Estamos diante do maior programa de pobreza desde 1945”, denunciou Bodo Ramelow, secretário-geral do Partido do Socialismo Democrático (PDS), durante as manifestações